sábado, 4 de dezembro de 2010

Sobre o Natal...

O natal..... Ahh! O natal, luzes piscando na cara de todo mundo! Espírito natalino paira sobre os corações humanos nessa época, todo mundo mais sereno e, com altas doses de compaixão correndo no sangue. Mas aqui vai uma advertência! Somente exclusivamente nessa época do ano você pode agir assim, em outro mês do ano é proibido ser fraterno e solidário com alguém!!! Afinal, inventaram o natal pra isso, ser falso pra caralho com as pessoas e consigo mesmo... O resto do ano é só “cara torta” pra quem precisa de uma ajuda de verdade

O Povo passa o ano todo esculachando pobre na rua (ou nem esculachando porque nem os nota), xingando o vizinho, batendo no filho, falando mal da sogra, metendo o pau no colega de trabalho, mas quando chega o natal, esqueça tudo isso, você foi reiniciado! E agora é um novo ser cheio de amor pra dar! Dane-se o resto do ano, em apenas alguns dias de dezembro você pode ser solidário... Ah seja só um pouco, por favor! Aproveite a temporada!

Você agora tem uma época específica pra agradar alguém com presentes da liquidação da loja de R$ 1, 99, e se redimir algo que fizera durante o ano todo, presenteie, compre, faça dívida mesmo, exploda o cartão de crédito, essa época você pode.

O natal é uma grande empresa multinacional, que entra em atividade no fim do ano para fazer a arrecadação do seu dinheiro, gente consumindo como se o sistema solar fosse entrar em colapso amanhã. E Jesus Cristo nessa história onde entra? Num sei não, mas acho que as pessoas pensam que ele ta feliz com os mesmos presentes que todo o ano os três reis magos deixam pra ele lá na manjedoura [Jesus deve ter uma coleção de incenso, ouro e mirra]. Nessa hora tudo que se pensa, e se tem como prioridade absoluta é o consumo, comprar aquele salto alto novo, aquela calça jeans “levanta bunda”, aquela bolsa de couro de alce das montanhas, trocar o carro, pintar o muro da casa (só o muro pra fazer média, o resto deixa como ta), comprar o peru e os acompanhamentos e se estufar de tanta comida!

E o menino Jesus, onde se encaixa nesse contexto?
Alguém por gentileza poderia me mostrar a certidão de nascimento do menino Jesus? Pois na Bíblia (a palavra de Deus) não consta nada sobre ele ter nascido dia 25 de dezembro. Considerando fatores climáticos e históricos que estão em certos manuscritos da época (que não saíram na versão original – nessa que você tem em casa, na estante), a probabilidade de Jesus ter nascido em dezembro são MÍNIMAS!

Enfim, eu participo (fico lá) no rito de passagem junto com a família, mas não dou o devido crédito que as pessoas dão a esse dia, é um dia normal, o que difere é que:

“A quantidade de hipocrisia das pessoas nessa época do ano, é  igual a de comida na mesa e de dívidas para o ano seguinte !”

MAS MESMO ASSIM, COM A MAIOR CARA DE PAU DO MUNDO EU AINDA DESEJO A VOCÊ...

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Classificar, Dividir, Separar...

Aos meus 11 anos no auge da minha magreza quase que em nível de desnutrição, resolvi então no calor do entusiasmo e influência, entrar para uma escolinha de futebol. Mais ou menos 50 garotos descalços, com fome de bola igual a de um urso que acaba de acordar da hibernação, todos enfileirados para a serem selecionados por “afinidade” para a posição que iríamos jogar. E lá vem o professor, com seu apito pendurado no peito, boné do flamengo, camisa do flamengo, dentre outros acessórios do flamengo, chegou perto de mim e disse:
- Joga em que posição rapazinho?
- Eu não sei professor... (eu acho que ele me ajudaria a definir exatamente isso)
E logo ele arranjou um jeito simples e eficaz de me classificar:
- Escreve com que mão garoto?
- Com a direita “fessôr”...
- Ok, Você vai pra lateral direita... Sabe o que um lateral direto faz? Ele corre na lateral direita! (nooossa que foda ele hein...).
Fui para a lateral... Já ciente que as minhas chances eram mínimas de tocar na bola. Pois sabemos que num jogo de crianças sempre tem aquele velocista, acrobata, palhaço que pega a bola dribla todo mundo e avança no corredor em direção ao gol e não toca nunca, e todos correm e se amontoam atrás dele no meio do campo... E nessa hora eu já estava morto de cansado correndo como Usain Bolt na lateral, e mesmo que eu me esforçasse, gritasse, corresse, minhas capacidades futebolísticas não nunca eram requisitadas. Levando em conta um detalhe curioso que também me fazia desistir, era o tamanho e peso da pelota, a bola era a mesma que o time adulto treinava, o peso e circunferência equiparável a um pneu de trator... As chances de conseguir cruzar uma bola na área eram as mesmas que você tem de beijar o próprio cotovelo, ou seja, zero! E acabei então, por motivo de força maior convidado abandonar a escolinha de futebol, e seguir apenas na escola mesmo... Esse foi meu primeiro contato com o nível mais baixo de pré-seleção dentro de um grupo.
Falando em escola, pré-seleção... Lembro-me das aulas de matemática. Matemática é uma matéria tão útil e eficaz para o seu dia-a-dia quanto chutar um cachorro morto, não dá muito resultado... Parece que ninguém avisou o mundo sobre uma descoberta magnífica chamada CALCULADORA, que facilita a vida de qualquer indivíduo, mas somos obrigados a aprender e conviver todo tempo com ela, aprendemos as 4 operação básicas; somar,subtrair,multiplicar e dividir (que é o centro do nosso assunto hoje). A matemática realmente é útil em dois casos extremos:
1 – Não ser tapeado na passagem do troco, no mercadinho da esquina.
2 – Somar as dívidas do cartão de crédito, pra pagar ainda aquela reforma do ano passado, e os 4 amortecedores daquele seu fiat uno 96.
Eu achava interessante a operação divisão, adorava as historinhas de solidariedade pra enfeitar a operação... Era sempre mais ou menos assim: “O Pedrinho tem 4 maçãs, Mariazinha não tem nenhuma, se Pedrinho der 2 pra Mariazinha... Com quantas maçãs cada um vai ficar?”

Mas era só isso mesmo de legal... E mais nada! Ninguém queria mais ser solidário e as contas se tornaram chatas, gente dividindo pedaço de pauzinho com as outras pessoas... Enfim, ficou monótono bagaralho!
Exemplo clássico de divisão/classificação é a Dona Maria quando vai cozinhar seu feijão, ela despeja uma quantidade na mesa pra selecionar aqueles grãos enrugados e mais escurinhos, mas o que difere um feijão do outro Dona Maria? A aparência? Todos são feijões, iguais, porém diferentes, apenas o fato de separar, selecionar, dividir não diz que são diferentes. Dona Maria está sendo um pouco preconceituosa... Mas devemos perdoá-la, pois ela não sabe o que faz. Ela só quer garantir um almoço saboroso e livre de feijões defeituosos.
Toda divisão gera conflito, que por sua vez gera rivalidade. Torcedores de times de futebol proporcionam constantes exemplos de como a rivalidade opera dentro de uma sociedade dividida... Imagine um torcedor com sua camiseta (pele) do Corinthians caminhando tranquilamente na rua, e então como David Copperfield aparece das trevas, um outro torcedor fanático do Palmeiras é detectado a 54 km de distância,e automaticamente o sangue dos dois já sobe e infla os olhos, com os movimentos rápidos o corintiano prepara um kame-hame-ha, enquanto o palmeirense já dispara um Hadoukken, não se preocupando com quem está perto da arena de luta, todo e qualquer tipo de artefato que pode ir a mão é usado para ser arremessado na direção do rival, e logo uma multidão se forma e já está se espancando sem motivo aparente algum, apenas pelo simples fato do palmerense não gostar das cores preta e branca e o corintiano não gostar da cor verde. Quer motivo melhor? (esse é o melhor que encontrei)
Toda rivalidade gera conflito, separação... E estamos subdivididos em classes sociais, times, partidos políticos, religiões, etnias. Tudo pela mágica operação da divisão, nomenclaturas são criadas para separar um do outro, e manter todos separados por ramificações de uma mesma família habitante do mesmo planeta. Hierarquias definem status e posição dentro de uma sociedade separatista e egoísta. Um punhado a mais de papel impresso é suficiente para ascender a outro nível dentro desta comunidade capitalista, um carro importado, um terno alinhado, e pronto já se pode dizer que participa de uma minoria controladora e poderosa, oprimindo uma maioria oprimida e desfavorecida. Mas observando nossos semelhantes vamos perceber que somos todos tão parecidos... Seres com polegares opositores e massa cefálica capaz de produzir impulsos eletromagnéticos. E o engraçado de tudo isso é que a maioria almeja as mesmas coisas, o carro importado, o terno alinhado e a maior quantidade de papel impresso na conta bancária. No fim todos querem ascender à mesma classe, dividindo ainda mais os seres humanos.

Mas cá entre nós, vou contar um segredinho se prometerem não espalhar...
Se usarmos corretamente a operação matemática da divisão como o Pedrinho fez com a Mariazinha, e não usar de forma errônea como tem sido feita desde sempre, tudo seria muito diferente e mais harmônico, mas isso é nosso segredo... Se cair nos ouvidos da família humanidade tudo vai se resumir a dias de liberdade, igualdade e fraternidade!

Você vai dividir esse segredo? A responsabilidade é sua eu apenas contei...

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Geração Malhação

Eu era uma criança calma, tranqüila, andei de bicicleta, brinquei de bola de gude, empinei pipa, joguei bola na rua (e perdi várias vezes a minha unha do dedão). Fiz coisas que um ser humano em desenvolvimento faria, em seu tempo certo é claro, subindo de degrau em degrau para uma adolescência proveitosa, tive algumas namoradinhas aqui e ali, tudo com uma inocência que hoje parece careta, sempre respeitando as vontades e modos da parceira, não atrapalhando assim as etapas normais do relacionamento. Porém, como minha função não é retratar o passado, analisar o presente e olhar para o futuro, é perfeitamente notável que nossas criançinhas bobas estão se transformando em seres totalmente diferentes. Pensam todo-dia-o-dia-todo em acasalar o máximo e mais rápido possível, qualquer cena de cachorro “fazendo amor” na rua é capaz de iniciar uma reação em cadeia no organismo desses indivíduos, precoces e inexperientes. Nossa juventude já está adiantada no tempo, fazem coisas que se eu pensasse na minha humilde e pacata infância, ganhava um tapa no meio da fuça (só de pensar), na atual conjuntura a orgia ta liberada, e a coisa toda muito adiantada, as crianças praticamente já nascem, e minutos depois já estão sexualmente preparadas... E isso para os “adiantadinhos” já é sinal verde para a perpetuação da espécie, e copulam com uma freqüência de deixar qualquer ator pornô no chinelo.
Mas ta explicado!!.... Com uma influência da novelinha Malhação escancarando as portas da sexualidade é bem mais fácil, e “shazaan” temos uma nova geração programada para agir conforme a caixa mágica apresenta. Fácil não é? Controlar uma massa gigantesca de jovens com o cérebro em formação e bombardeá-los com mísseis de cultura inútil.
Quer verificar se eu estou mentindo ou até mesmo exagerando? Veja por si mesmo, mas prepare-se para emoções fortes, pois os atores são incrivelmente dotados de talento invejável. O roteiro então... Vai fazer você chorar (de rir), é fraquinho demais, e para alguém que alcançou o nível mais baixo de inteligência será fácil detectar isso. Desculpem-me, mas vou ter que falar pra vocês como a novela começa e termina, posso? (claro que posso)
Começa assim: O rapazinho se apaixona pela moçinha... Porém sempre há algo ou alguém que atrapalha o romance, mas no final (sempre no final) ele ficam juntos e viajam! ... Pronto galera, malhação resumida, não precisam mais assistir (acabei de destruir sonhos de adolescentes contando como é o final), sobre os episódios entre o começo e o fim da temporada, é só usar um pouco sua imaginação, ora bolas! Você ainda tem isso não é? Imagine papos cabeça, sobre sexo, gravidez, traição, homossexualidade dentre outros assuntos polêmicos que são tratados com muita irresponsabilidade.
Eu na minha humilde concepção, acho que deveriam mudar o horário e faixa etária da novelinha... Faixa etária para 18 anos e horário depois do cine prive (ainda acho cedo demais), pois se alguém em seu juízo perfeito e saúde mental estabilizada vai notar que isso se trata de uma sacanagem em horário nobre.
Mas não... É um insulto a inteligência (resumida) de um adolescente falar nisso, eu to exagerando... É tudo apenas uma novela... é só ficção. É só ficção!!?? É porra nenhuma!! Olhe a sua volta meu amigo, estamos cercados de mini protótipos de atores da malhação, ninguém mais no meio jovem é realmente autêntico, e sempre se escoram em uma realidade imaginária para se auto-afirmar e obter status num grupo. Mas gente, espera aí, lembrei de uma coisa, as pessoas sempre falam: “Os jovens são o futuro do país.” puta merda! Então o Brasil ta fudido...
 Por favor, pais desses seres subdesenvolvidos, se não desejarem que seus filhos futuramente tenham distúrbios relacionados ao cérebro, tirem eles da frente da TV, é um favor que vocês fazem para si mesmos, para que num futuro próximo não gastarem com psicólogos e psiquiatras para tratar os possíveis desvios de personalidade, e problemas de percepção e aprendizado.

OBS: por que o nome da novelinha é malhação? Alguém malha naquela porra? Eu nunca vi!

sábado, 25 de setembro de 2010

Evolution!

Digimons, digitais, digimons são capiiiões!![velhos tempos de tv globinho]

Patamon "DIGIVOLVE" paraaaaa???

O que o Sua Santidade o Papa Bento 16(não sei como se escreve em algarismos romanos, FDC!), o sempre cheio de enigmas,sagaz e escorregadio Mestre Dos Magos, Sebastião Bala Rocha têm em comum??

         Partem do mesmo parentesto genético!!
                                                          [separados na infância..]


OFF: Pensamento do dia: Porquê o filho da puta do Mestre dos magos se ausentava justamente no momento que os jovens "guerreiros" estavam fudidos??


- Pense nisso................... e torne o mundo um lugar melhor para se viver..

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Dúvidas...


Todos nós temos dúvidas... Dúvidas simples como: - Qual será a marca da TV nova do vizinho, ou dúvidas complexas como: - Quem é Deus? Uma constante jornada em direção a respostas, e uma incansável e épica batalha pela verdade.
Dúvidas permeiam a mente dos seres humanos, desde seu parto. Nascer já é uma pergunta.

Porém não há ser vivente desta esfera azulada, que saiba a verdade absoluta, sobre o que fazer, e para onde ir... O que é mostrado para nossos olhos é uma alternativa de sobrevivência, que é empurrado goela abaixo todos os dias. Política, Religiões, Leis, Dinheiro... Tudo conspirando para uma limitação de pensamento, e do verdadeiro propósito de nossa existência. Mas como buscar a verdade, em meio a um mundo pré-fabricado para nos escravizar?

Pensar.... Apenas pensar.... Questionar...

Experimente passar um tempo consigo mesmo e se permitir fazer alguns questionamentos, mas antes de tudo prepare um caderno de 20 matérias para anotar suas dúvidas, serão muitas. Dúvidas são tão comuns a mim e você quanto o ato de respirar. Sempre buscamos consciente ou inconscientemente o que denominamos verdade. E garanto que ficar preso a um quadrado delimitado não vai ajudar muito, já que esse quadrado é a forma normal (aceitável) de se pensar.
Vivemos cercados por um muro alto e invisível, chamado razão, e tudo que se supõe ultrapassar as leis da razão, é entendido como algo prejudicial. O medo de sair dos limites da razão nos mantém acorrentados a dúvidas incessantes, geralmente esta área é delimitada por algo externo as nossas vontades, por meio de opressão ideológica, um modo único de pensar e de agir passado de geração em geração, uma ideologia que nos limita através do medo, nos faz permanecer nas terras da ilusão, seguindo cegamente algo que não parece racional.
Estamos sempre preocupados com o que vão falar das nossas atitudes, dos nossos modos, das nossas crenças... Preocupação que nos mantém a margem do conhecimento real e de nossa verdadeira personalidade. Sempre preocupados em encaixar-se em um estereótipo e seguir costumes... Porém um simples passo além dessa linha que limita nossa consciência, nos leva a outro universo de idéias e percepções.
Um simples exemplo de limitação do pensar e agir é a religião. Falar de religião é tocar numa ferida incurável e cheia de pus. Falar de religião é ser taxado de blasfêmico. Mas foi o primeiro limite imposto pela minoria para calar a maioria. A religião é algo não muito difere da política, há vários partidos, vários líderes, sempre em constante conflito, sendo que todas pregam sem exceção a paz e a harmonia, porém é um tanto controverso entrar num conflito para se obter paz (curiosa essa forma de pregar a “paz”). Criam regras (leis), para controlar atitudes do indivíduo através do medo de errar e ser enviado para as profundezas do inferno. Oprimem a maioria com um livro que vem sendo (re)escrito através dos tempos, que não se sabe ao certo quem escreveu, e não se sabe ao certo como ler. Tomar um livro que não se compreende como uma bula de remédio é bastante perigoso, pois, se a leitura for mal interpretada haverá uma super dosagem de um remédio que pode se transformar em um veneno. Mas mesmo assim ele é tomado como a verdade absoluta. Ou seja, sequer poderemos questionar algo, magnífica forma de opressão não acham? (Toma isso e engole rápido e não vomita!). Não posso negar que lá além de mensagens criptografadas e parábolas com multi-versões interpretativas, há mensagens de amor, misericórdia e piedade, essa é a parte boa! Mas usar esse livro como única forma de verdade, sem antes se dar a oportunidade da dúvida? Parece certo? O que é certo pra você, pode não ser certo pra mim... Sigo procurando o significado da minha existência e posso afirmar que é uma árdua tarefa, pois mudar a forma de pensar que eu antes tinha definido verdade é como se fosse uma bomba dentro do cérebro, e explode todo tempo, e com isso mais e mais dúvidas, conseqüentemente mais e mais respostas.

Algo de errado acontece com a humanidade nos tempos atuais, e nisso você terá que concordar comigo! Jornais publicam novas doenças, a T.V mostra assassinatos, corrupção, guerra... Vivemos na retaguarda, sempre atentos a qualquer tipo de movimento, presos atrás de grades, nos escondendo dos nossos próprios semelhantes, temos horário para estar trancafiados em casa, somos obrigados a adquirir sistemas de segurança cada vez mais eficazes (porém caros)... Há algo de errado com o mundo...
E mesmo assim pensar diferente é errado? Obter respostas é “pecado”? Ter opinião própria parece crime, pois caso discordemos de algo, inventarão diversos “ismos” para encaixar e condenar, ou seja, você está obrigado a seguir a maioria e não reclamar.

Parece que encontrar Deus é cada vez mais complicado... De fato é complicado pela maneira que estamos tentando achá-lo, "Deus" está em todo lugar (inclusive dentro de você), é uma imensa energia dissipada no universo, espalhando a verdade do amor e respeito as diferenças. O "Diabo" é simplesmente o medo interior, a raiva a ira e todo sentimento contrário ao amor que faz a humanidade vibrar numa freqüência fraca. Somos todos como antenas ambulantes, receptoras e transmissoras, repassando o sinal interior dos nossos sentimentos, e o mundo de hoje é o espelho da nossa consciência. Somente quando o ser humano conseguir sintonizar a estação de rádio correta haverá uma grande mudança, uma mudança significativa, um novo passo na evolução , quando houver apenas o amor ao invés da guerra, tolerância ao invés da indiferença. Poderemos deixar a margem todo preconceito contra raça, credo, cor, sexualidade.

Siga sua própria “religião”. Porque não aproveitar cada molécula de oxigênio que respiramos? Porque não amar como se não houvesse amanhã? Porque não agradecer pelo sol que aquece e dissipa a escuridão.

Somos todos participantes de um mesmo organismo chamado planeta terra. E somente perguntando, duvidando , aprendendo e buscando o verdadeiro “EU” interior, encontraremos o significado de viver, e entender que a vida do outro ser que nos rodeia é tão valiosa quanto a nossa própria vida.

Há uma guerra interior sendo travada todo tempo, o que devemos escolher é quem vai sair vitorioso, “Deus” ou o “Diabo”.

.......Use sua imaginação.
 

domingo, 12 de setembro de 2010

Revoadas...

Vivendo num presente cada vez mais infestado por ondas de modismos musicais, onde o que reina é a “bunda music” e “Adolescente Music”. Fico recluso cada vez mais num mundo alternativo consumindo diariamente toneladas de Heavy Metal importado das terras européias de países como Finlândia, Dinamarca, Alemanha entre outros. Porém me arriscando por outros mares, pra ser mais sincero, rios, explorando uma outra esfera ainda não conhecida pelos meus ouvidos “amaciados” por guitarras distorcidas e bumbos à velocidade da luz. Numa ocasião atípica, com o estado de espírito controlado e mente aberta, chutando o preconceito pra lateral, decidi enfrentar de peito aberto a tarefa de uma simples audição de uma obra regional de um conhecido artista das terras tucujus. A obra chama-se Revoada “asas da costa norte” de Osmar Júnior. Acompanhe abaixo faixa a faixa.

1- Revoada: Abre o disco com aquele clima ribeirinho, automaticamente já me senti na beira de um rio olhando as aves e o descer e subir das águas sem preocupações com o tempo passando. Refrãzinho muito gostoso, com uns acordes de violão acompanhando a voz rouca de Osmar.
2- Igarapé Das Mulheres: Conhecida de quem é Amapaense, a música que mais repercutiu na carreira deste músico. Instrumental minimalista, onde quem se destaca são os teclados bem colocados de Joaquim França. Uma ótima letra que remete a nostalgia do autor. Sem mais comentários. Perfeita.
3- Festejo: Letra sobre um festejo religioso. Ritmo envolvente com um baixo que se sobressai junto com a percussão.
4- Deuses Dos Brasil: Música sobre os viajantes que exploraram as terras do nosso Amapá, e seus encontros com índias e riquezas, diga se de passagem uma ótima letra. O sax de Espíndola dá um tom mais jazz e sem dúvida nenhuma, enriquece ainda mais a melodia.
5- Além Dos Meus sonhos: Uma música de uma atmosfera mais romântica, cadenciada por assim dizer, letra mais sentimental, Osmar canta com o coração na garganta nessa faixa.
6- Cheirando a Sorte: De longe a minha preferida, faixa tranqüila, guiada por um violão de acordes tristes, e teclado presente fazendo a cama para uma composição inspirada, letra soberba com kilos de paixão, conta com participação de Amadeu Cavalcante, Zé Miguel, Val Milhomem e Edilson Moreno fazendo um coro muito bonito. Bela faixa!
7- Pedra do Rio: Uma faixa mais ritmada, com violões mais dinâmicos e sax ao fundo dando todo um charme especial, Letra nostálgica sobre os tempos de fé aos redores da pedra do rio. E refrão cantado em uníssono, um dos mais conhecidos e bem feitos. Música ótima!
8- Poço do Mato: começa com um solinho de guitarra esperto meio que emulando um canto de pássaro (não recordo qual é). A letra mais ingênua e bem sacada da obra em geral, retrata um amor “passarinho”, cheia de trocadilhos com nomes de espécies de aves, criatividade pura. Passagens como: “Rouxinolzinho de desejo, sobrevoei teu ninho, te colibri de beijos” mostram toda a inspiração de Ademir Pedrosa e Osmar como uma dupla impecável de letristas.
9- Pra nunca mais: Letra romântica e muito bela, sobre uma paixão não correspondida. Balada no melhor estilo regional, música regada a sentimento. Instrumental irretocável, enfim, mais uma faixa pra ficar entre as principais do disco, Perfeita!
10- Pequena Morena: Música cheia de swing, meio lambada. Letra sensual como o andamento da música. Solo de teclado fechando com chave de ouro.
11- Violino: Apenas violão e voz. Uma história no mínimo interessante, letra criativa, quente e despretensiosa, fecha o disco de forma espontânea e rápida, quando a história vai ficando boa a música acaba e deixa aquele gosto de quero mais.


Por algum tempo que passei escutando esse disco, a sensação de estar em um universo paralelo que é somente encontrado a quilômetros de distância da cidade, tomou conta de mim. Não me arrependo nem um pouco de ter deixado por alguns minutos a “pancadaria” de lado e ter optado por um momento a sós com essa “revoada” de música boa. Arrependo-me de antes, não ter dado a devida atenção a este trabalho feito com muita honestidade e paixão.

Sinto que virei fã, e a música amapaense num todo acaba de ganhar mais um admirador. Isso só prova de fato que tem muitas raízes boas fincadas nessa terra. Aprecie.



LINK PARA DOWNLOAD: 4shared

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Sobre micareta...

 O alto patamar da cultura Brasileira chama-se micareta, sacanagem e orgia a céu aberto. Quantidade elevada de bactérias bucais por centímetro quadrado, e muito axé!

É capaz de unir gente de variadas classes sociais, raça e aptidão sexual com um único intuito: Estar numa putaria.
Conheço seres vivos que entre outros empregos instáveis e independentes não citados, trabalham todo dia o dia todo, pra no fim do mês receber a recompensa pela árdua labuta. E num lapso de ignorância doentia, gastam em um abada! Sim caros leitores.
Abada... Aquela vestimenta de tecido leve e de má qualidade, que serve de ingresso, vendido a preços absurdos e que depois vira pano de chão ou segunda pele de muito caboquinho que anda por aí como se fosse uniforme de guerra. Ou pra simplesmente economizar saliva e inconscientemente passar a mensagem: Eu fui na Claudinhaaaa (Ivete, tanto faz..) !! Foi muito phoda cara!!
E ainda sai contando mil e uma vantagens de se estar em uma micareta.
Acompanhe coisas do gênero abaixo:

- Mano! Foi muito fera... Tinha muita mina gata, e gelada no “bandão”.
- Mano! Foi muito fera... Tinha muita gente de outra academia pra eu brigar, eu arrebentei “mermo”!!! Arm-Lock Invertido e o diabo a quatro!
- Mano! Foi muito fera... Tinha muita gente enfiando o dedo em mim!
- Mano! Foi muito fera... Eu não vi nada depois do primeiro soco! Mas eu acertei ele, tu viu?
- Mano! Foi muito fera... Beijei mais de 30 pessoas (incluindo: Pessoas do mesmo sexo, o chão, o punho do segurança e o próprio joelho)
Em micareta podemos encontrar uma variedade de tribos...

Os Pit-Bulls de micareta: Sempre estarão lá não importa o que houver. Bombados e de pouca inteligência, distribuem socos e ponta pés numa quantidade sem precedentes, e quando caem no chão, estão no território deles, convidam pra rolar um jiu-jitsu de rua, no meio da pista cheia de urina. Eles beijam o chão, e algumas garotas, pulam, bebem, brigam, pulam, brigam, bebem, brigam e brigam.

Os Incapazes: É uma horda de pessoas sem noção que não tem argumento suficiente para conseguir beijar alguém, e mostrar uma conversa realmente interessante para o outro ser humano. Em matéria de relação interpessoal são péssimos, vocabulário resumido a: “Tudo bem? Você vem sempre aqui?”. Esperam apreensivos por um evento desses, pra tentar “pegar os/as gatinha (o) muito loca (o)”, já que, pra “pegar os/as gatinha (o) muito loca (o)” não é necessário falar nada! É só simplesmente tascar um beijo com 30 cm de língua pra dentro da boca da cidadã (ao), um beijo tão agonizante que depois do 4° ou 5° beijo a pessoa já ta ofegante (falta de prática). Sim eles beijam como se o fim do mundo estivesse próximo, pulam, beijam, pulam, beijam e beijam. Beijam.
Os Alcoólatras: Sempre estarão lá não importa o que houver. Já começam com a bebedeira no caminho, já chegam ao evento com a “consciência pesada”, e já não sabem em que dimensão se encontram, e pra que coordenada seguir. São incrivelmente habilidosos em arremessar latas de cerveja parcialmente vazias a distâncias e velocidade apreciáveis! Vomitam com facilidade e urinam com freqüência quantidades consideráveis! A responsabilidade por aromatizar o local é sempre deles e de mais ninguém. Eles também beijam, com ou sem vômito, pulam, mijam, pulam, vomitam, beijam, e vomitam, e bebem. E bebem.

Destacando também a tribo que rege esses subgêneros acima. Os micareteiros.
Todos acima de fato são micareteiros .
Ser micareteiro é ter a convicção de que apenas uma rápida escovada nos dentes é estar livre das toneladas de bactérias, vírus, germes e etc. É usufruir de 100ml de Listerine (anti-séptico bucal) e ter a certeza de que está protegido.

Mas isso tudo é Brasil! Cultura acima de tudo...
Pra quem gosta é um prato cheio... Mas na minha concepção tem puteiro bem melhor, mais limpo e bem mais barato.

Podem me criticar. Os comentários servem pra isso, mas se eu estiver mentindo me avisem que eu corto meu testículo esquerdo de tanto arrependimento.

domingo, 22 de agosto de 2010

Velocidade Máxima 3!!

Contemplem esse acontecimento histórico que para poucos é possível apreciar a olho nú, um fenômeno que somente pode ser apreciado fora da região norte.
Estou falando nada mais nada menos do que um magnífico Download a uma velocidade aproximada a 24 kbps.
Esse fenômeno raro e incomum foi capturado graças a perspicácia e agilidade deste escritor recém parido no mundo dos blogueiros (vagabundos).
Se tratando de Macapá, isso é coisa de outro planeta! Pois estamos ilhados tecnológicamente, Dependentes de internet via rádio ou a já muito cansada e derrotada DISCADA, sim amigos... Eu bato no peito e posso dizer eu tenho um modem PCI 56k (não divulgo a marca) pois é só o que de melhor eu posso ter, e o que Macapá pode oferecer.
Mas deixando as críticas de lado, refletindo pelo lado bom da coisa toda.
Eu fiz meu Download, e estou realmente excitado com isso.
Apenas contemplem por algumas horas a imagem...
Obs: Download de um arquivo .rar um cd em mp3 do Torture Squad!!! (não vendem Cd's de Heavy Metal aqui no estado estão baixei...rsrs - mais isso é assunto pra outro post).

sábado, 21 de agosto de 2010

Acorda Eleitor !!

Se você é do tipo “revoltadinho” rebelde sem causa, que mostra o dedo do meio com toda força, e diz: O que eu tenho a ver com isso?! Meu amigo querendo ou não você está inserido na mesma sociedade que eu e meu cachorro de estimação. Engano seu pensar que política não influi nada na vida das pessoas, é com política que tem gente por aí andando de Fusion e você de “Ilusion”
Se você não tem visão política nenhuma, eu não me importo, eu também não sei muita coisa, mas você quer continuar patrocinando essa quadrilha?
Você ainda engole esse mesmo blá blá blá: Me dê seu voto de confiança, vou CONTINUAR lutando... Pela educação, Saúde, Saneamento...
Você eleitor ludibriado e desinformado.
Está na hora de começar a colocar essa cabeçinha de vento pra pensar e parar de dizer: “Eu não to nem aí pra isso!!”... Vamos parar com essa síndrome de Luka (pra você que conhece essa música).
Aí você me pergunta: O que eu ganho com isso?!
Mas que pensamento egoísta em fera! Pensando somente em você, novamente? Francamente hein! Vivemos no mesmo mundo perigoso e impiedoso, e você ainda com esse discurso cansado!?
É problema seu! Assaltos a estabelecimentos comerciais e aos cofres públicos.
É problema seu! Lavagem de dinheiro e emissão de notas fiscais frias.

Não é justo você andar na sua bicicletinha e o candidato que apertou na sua mão, que lhe deu aqueles 50 contos, estar a quatro anos de carro importado, e você andando com sua “magrela” com o aro todo empenado resultante de ruas tão esburacadas quanto meu rosto adolescente cheio de cravos e espinhas. Sejamos sinceros, sabemos que você e eu não vamos deixar de andar de bicicleta da noite pro dia, isso vai depender do nosso esforço é claro! Mas pense de uma forma mais abrangente: você começa a valorizar seu voto, liga as lamparinas da sua cabeça e chame a responsabilidade da mudança pra perto de você! Sabemos mais do que ninguém que o povo do Amapá está para a política, assim como o palhaço está para o circo, motivo de risada. Sinta-se a vontade com seu nariz vermelho e roupa colorida, anime a festa deles e fique contente com migalhas que ficaram sobre a mesa.

O que você precisa meu amigo leitor é tomar 200 litros de vergonha na cara, e começar a se tocar que tudo está interligado, estamos no fim da fila, e somos preferência na cadeia alimentar deles.
Enquanto nós temos que desembolsar suados quatro reais de nosso salário minúsculo, aquele candidato que elegemos, simplesmente num dia qualquer de mesmice, decide comprar um carro do ano para seu filho, contornar diversas vezes a orla da cidade. Separe um dia de folga, aquela sua folga suada conquistada com horas extras e adicionais noturnos e vá fazer uma caminhada pela nossa bela e surrada Macapá, e verá que não estou mentindo... Adolescentes que abandonaram as fraldas enquanto você lia o primeiro parágrafo deste texto, estão esbanjando seus “brinquedinhos” importados como se empunhassem troféus, conquistados com o auxílio de gente como eu e você, eleitores.
É hora de tirar a venda dos olhos e parar de brincar de “cabra-cega”. Quando o assunto é sua vida e a minha, não se deve brincar. Multiplique seu voto por quatro anos que terá que sair por aí espalhando currículos pelas empresas de Macapá, tentando achar saída para dívidas e despesas familiares. Pare de se importar com o que vê a um palmo de distância do seu nariz, e comece a olhar para o futuro... Você quer continuar com essa política de “sobrenome”? Definitivamente a política não é um negócio de família! Você tem o poder de desfazer esse círculo vicioso da Política Amapaense!

Portanto meu amigo leitor, se você faz o tipo “revoltadinho” rebelde sem causa, muito bem isso é bastante válido! Saiba usar essa revolta para um bem comum, canalize o foco da sua energia e lute por algo coerente. A política amapaense está acenando pra você de dentro do túmulo, mas ainda temos chance de salvá-la, pois ainda está viva. Podemos escolher entre ajudar ela a se levantar ou jogar a última pá de terra por cima de uma engrenagem que move a sociedade.

Diferenças e Semelhanças, Boneca Inflável e Algumas mulheres.

Nem tudo que está escrito abaixo é completamente verdade, e nem é para ser levado ao pé da letra, e ainda espero não ser crucificado de cabeça pra baixo por tamanha sinceridade, pois estas palavras apenas expressam idéias do autor, sem intenção de denegrir os dois sujeitos do assunto. Mas na realidade em que a humanidade se encontra em que valores estão invertidos e o ser humano completamente desvirtuado e inerte a verdadeira noção de respeito próprio, o que escrevo abaixo é o que vejo, sem máscaras, sem disfarces.
Mulher... Ah! As mulheres! Lindas, Sensíveis, Misteriosas, seres sublimes de brilho ímpar nos olhos e de personalidade tão previsível quanto um tsunami. Filhas de Eva mulher da perdição, sobrinhas de Maria a mulher da salvação. Capazes de carregar outra vida dentro de si durante nove meses, milagre divino, responsabilidade gigante, uma sensação inimaginável para qualquer homem, tão difícil de entender suas mentes invariáveis, que deveriam vir com manual de instruções, são de incrível importância na vida de um homem. Companheiras, atenciosas, meigas, a metade que nos falta e que quando achada nos completa.
A grande pergunta é: Porque essa comparação tão ridícula? Acalmem-se, tudo será explicado.
Bonecas Infláveis... São artefatos ocasionalmente adquiridos em Sex Shop, emula uma mulher real, geralmente dotada de dois orifícios, um situado na cavidade da boca, e outro na região pélvica, é comprada e usada para fins de fetiches masculinos, desta forma, serve para manter relações sexuais. Logo após o ato, é lavada, o ar é retirado de seu “corpo” e em seguida guardada em local seguro, seco e limpo, ou mesmo se de preferência do dono, sempre “cheia” e jogada em qualquer lugar.
Novamente você e essa sua curiosidade: Porque essa comparação tão ridícula? Já que a boneca é um ser inanimado, imóvel e plastificado.
É neste momento que os meus pensamentos sinceros serão visíveis durante o texto.
Infelizmente estes seres importantes e capazes de sofrer dores insuportáveis para o sexo oposto, tornaram-se através dos tempos, simples objetos... Isso mesmo! Objetos.
Mas agora, a que ponto eu quero chegar com isso? Bom, se você leitor não percebeu não fique frustrado, continue lendo.
A semelhança é simples e direta. É que algumas mulheres se prestam a mesma situação das bonecas infláveis, usa-se para qualquer fim (vai da imaginação), não precisa comprar, nem lavar, guardar não é necessário, pois terminado o ato ela mesma se dirige ao seu lar. A principal diferença entre as duas, é que, a mulher se locomove, fala, pensa e dentro do corpo geralmente há órgãos vitais como o cérebro, capaz de produzir impulsos eletromagnéticos, e coração, o órgão associado ao sentimento.
É importante ainda dizer, que a boneca inflável se adquirida, pertencerá a um único dono pelo resto de sua “vida”. Podendo assim afirmar que é um lindo e perfeito casamento, e esse laço só é desfeito, se seu “marido” por descuido deixar sua “esposa” se ferir (furar). Por estes motivos fico até tentado a adquirir uma boneca inflável, pois são inúmeros os benefícios que elas podem trazer, bem mais sinceras e sempre dispostas a ouvir o que queremos falar.

Já algumas mulheres... Revezam entre vários maridos (donos), realizando as fantasias sexuais dos mesmos, não custam quase nada, no máximo uma voltinha de carro, um misto quente e uma coca-cola. Não é Lucrativo? Claro! Que maravilha!
Antes fosse uma maravilha... Mas não é!
Revendo todos os conceitos acima supracitados, é lamentável a comparação. Tenho vergonha de ter pensado e escrito essas linhas. E enquanto você lê este texto, mais “mulheres infláveis” vulgarizam seu corpo em busca de emoções. E após todo o ato de prazer momentâneo, deparam-se com a solidão de seus quartos, É aí que todo prazer do mundo não é suficiente para tamanho vazio, a consciência cobradora implacável julga ativamente todas as atitudes, e mais uma noite vem, pra tentar esmagar a noite anterior, umedecida com lágrimas.
As grandes perguntas que não querem sair da cabeça deste humilde escritor são: Por que está tudo assim desse jeito? O que podemos esperar daqui pra frente? É essa a terra onde meus filhos vão caminhar? O que ocorreu para que tal situação viesse à tona?
Bom na realidade eu já tentei descobrir. Não achei resposta alguma. Tenho teses isoladas sobre o caso, uma delas é que não só as mulheres, mas os seres viventes desse lindo planeta estão apenas andando sobre a terra como se fossem recipientes vazios, zumbis comedores de comida industrializada.
O que me leva a crer (não fique triste, é o que eu acho) que é um caminho sem retorno, cada um de nós está se jogando num abismo sem fim. Hipocrisia nossa, achar que tudo está bem, confortável e conveniente.
O que escrevi aqui pode não ser algo macio de ouvir, soa estridente no ouvido de quem não quer escutar. Mas a verdade é assim, impactante para os despreparados e de mente fechada.

Desventuras Intestinais

Comer é bom, mas tudo que entra sai, é fato! A maneira que sai é que não é previsível.
Acompanhe abaixo uma demonstração da vontade do corpo sobre a mente.
É madrugada, silenciosa, calma e escura... Bom... é madrugada!
Não muito comum ao costume, acordamos no meio da noite. Como que por encanto e não tão esperado, nosso corpo humano, máquina perfeita, nos avisa que algo não está normal.
Com todo nosso orgulho e preguiça, ignoramos tal notícia e lutando contra a vontade biológica, a gente se “tranca” e pensa que está no controle da situação, quando de repente, você sente algo como se fosse um espeto de churrasco lhe atravessando o aparelho digestivo, a espetada é tão forte que você já não está tão confiante assim, a dor é cruel...

E já está refém da vontade irremediável de seguir para o banheiro. E segue... Como um carro de fórmula um saindo dos boxes, você sai de sua cama numa velocidade e cuidado absurdos! Dirige-se a “casa de força” com um rosto não muito amigável e uma das mãos massageando o estômago, que parece derreter dentro de si, falta muito pouco para o alívio imediato, sua face já não expressa tanta dor e já se divide com um sentimento de alívio antecipado, sua mão está a centímetros de empurrar a porta e entrar em um “mundo branco” de alívio e esperança... Você está confiante, olha para o lugar do papel, sim ele está lá! Numa quantidade considerável, com um sorriso amigável convidando você a ficar ali por bastante tempo. Saindo do campo de visão, rumando mais para o lado está o vaso sanitário... Nessa hora de desespero é como se fosse à poltrona mais confortável do mundo!
Mas...! Como se não bastasse tanta maldição, nos deparamos com o vaso sanitário lotado com uma boa quantidade de urina já envelhecida pelo sono da madrugada, de uma coloração única! Dourada como ouro, uma solução concentrada, de aparência densa e de tons variados, um perfeito Playground para diversos germes e bactérias nocivas a saúde de um andróide com a “pele” de titânio. Aí surge a dúvida cruel, é tarde, não se quer fazer ruído, nem tem a intenção de gritar pro mundo que você está no banheiro, puxar ou não puxar a descarga?
Escolhemos não puxar... Considerando que a acústica do banheiro não é das melhores, e você pensa na vergonha e constrangimento de fazer tanto barulho na madrugada (num banheiro), fora os sons involuntários que produzimos nessas situações. Mas estamos no banheiro para um único fim... E começamos o “ritual”, tudo com o máximo de destreza e silêncio possível, fica-se a certa distância para que o líquido “precioso” e amarelado não beije seu “escapamento”, no entanto considerando a equação distancia+peso+velocidade = X (espirros de direções diversas) é inevitável, e o encontro tão recusado acontece. Culpa do vaso... Ele não pertence a essa nova tecnologia recente, não tem conversor digital integrado, entrada USB, nem tampouco é Full HD, e também não tem aquela rampinha pra porra da merda descer de rapel!!! Aqui o esporte é outro, Bangee Jump (sem elástico).
Outro caso específico a expor é a densidade e estado da “porradamerda”.
Esqueça tudo sobre fezes, que você aprendeu na escola, já não nos conhecemos tão bem... Aprenda agora uma nova lição: Ela pode sair no estado sólido pra te enganar e te dar uma falsa esperança de que você não tem nada de mais! Ou nem pensar em seus sentimentos e te magoar logo e sair líquida... Ou também ela tem o poder de apenas brincar com você e mandar antes, Flatulências (Peido) de tamanha explosão tóxica para narinas mais despreparadas e sair depois num misto de sólido e líquido! (fase mais devastadora da “Caganerium Du Caraium” nome científico para a enfermidade sofrida), essa última etapa a mais destrutiva de todas, deixa a saída do escapamento numa situação não muito agradável, extremamente sensível e ardendo como fogo do inferno!

O grande segredo para uma limpeza não tão agressiva para a ponteira do escapamento é a técnica chamada, boquinha de donzela. Friccionando o papel higiênico com uma delicadeza de uma gazela as bordas da auréola encarnada e já muito desgastada. Ou também há uma atitude mais desesperada, O Chuveiro.
Isso mesmo, já que você se encontra “na merda” (literalmente) encare, e faça barulho mesmo! Faça tudo com muita força e vontade! Gemendo e chorando, pressione seu abdômen numa força descomunal sem precedentes, levante-se e abra depois o chuveiro e se lave com gosto e sinta um alívio incrível, assumindo que está nessa situação deplorável, não se preocupe com a opinião alheia, proceda com humor e acorde todo mundo com os variados sons que você pode emitir.
É... Acontece... Não tem bonito, feio, musculoso, magrelo, rico, pobre... Que não escape de uma madrugada dessas. Sabemos com convicção que nosso corpo age de forma aleatória sem consultar antes nossa opinião, o estômago e o cérebro não têm uma relação muito amigável... É fato!
Enfim... O lance é pensar algo produtivo enquanto está nesse momento de “meditação” (e torcer para que passe logo). Assim como eu fiz escrevendo esse texto no celular gastando meu tempo e rindo de mim mesmo sentado no vaso com a bunda toda respingada de urina+cocô. Boa sorte a você leitor e que passe por muitas madrugadas como essa. Não se esqueça de adquirir um vaso sanitário com a nova tecnologia High Caganition, esse realmente supre suas necessidades! E para um áudio mais límpido e cristalino, adquira também sistema de isolamento de som, para uma madrugada em alta definição de som, imagem e sensações nunca antes apreciadas.